Leia sempre, a leitura transforma.

Leia sempre, a leitura transforma.



sábado, 30 de maio de 2015

POR QUE LER?

publicado em recortes por Gustavo Galli
Kenyon Cox - Nude study
Uma prática extremamente antiga. Seja poesias, romances, ensaios, notícias. Seja livro, jornal, revista, e-book. Seja Shakespeare ou Machado de Assis. A variedade é enorme, mas a dúvida é a mesma: por que nós lemos, afinal?

Escrevi há algum tempo o artigo “Por que escrever?”, dissertando acerca da necessidade humana intrínseca de se expressar. Tratei da conexão “escritor-leitor”, dando ênfase na figura do escritor. Agora, vou abordar o outro lado da moeda e tentar compreender e fazer compreender o porquê de – além de só emitirmos – recebermos conteúdo.

Primeiramente, não podemos esquecer que existem pessoas que simplesmente não cultuam o hábito da leitura. É comum em conversas informais com conhecidos, parentes e amigos, ouvir-se a frase “Não gosto de ler porque é chato”. Mas você alguma vez já parou para refletir no porquê de algumas pessoas não gostarem de ler? Os motivos são vários...Talvez alguma decepção literária? Ou alguma leitura obrigatória de um livro maçante? Ou ainda o simples desinteresse em realmente nunca ter pego um livro para ler? Seja como for, decerto o que pode ter acontecido foi a pessoa em questão não ter achado um título digno de a cativar, surpreender, ensinar ou inspirar, pois é isso que um bom livro faz. É correto afirmar com quase absoluta certeza que todos que se interessam pela leitura já desfrutaram de um ou mais livros cujo impacto foi marcante. Eu mesmo posso afirmar com orgulho que determinados livros literalmente mudaram minha vida, meu jeito de pensar e consequentemente o jeito de eu me expressar. Assim sendo, tenhamos um pouco mais de paciência com quem afirma não gostar de ler. No fundo, eles nunca leram de verdade. Ainda.



Eis alguns motivos de a leitura ser especial: ler é basicamente estabelecer uma conexão com alguém que tenha algo a dizer. Mais do que isso, também é beber das palavras e se deixar embriagar. É navegar por águas desconhecidas e desfrutar de tesouros escondidos em ilhotas. É assistir a uma palestra muda, adquirindo valores, formando opinião, desenvolvendo senso crítico e retendo aprendizado – aprendizado esse que pode e, principalmente, deve ser transmitido adiante. A leitura é uma arte solitária, que, entretanto, estabelece esse elo direto e atemporal de dois espíritos com o mesmo objetivo: a transmissão de informação. Chega a ser poético.

Àqueles que já leem e já conhecem os prazeres da leitura: já refletiram friamente de o porquê de cultivarem tal hábito? Já consideraram que, agora que conhecem e praticam essa citada arte, deve haver algo além da simples obtenção desses inúmeros benefícios que ela proporciona? Já tiveram a sensação profunda de que a leitura é um alimento para a alma, sendo mais do que essencial para sua ascensão pessoal, profissional, cultural e principalmente espiritual?

Um literato completo, na verdade, é aquele que lê (ouve o que outras mentes têm a dizer) e escreve (liberta sua mente para pensar sozinha e transmitir isso aos outros). Ambas as atividades devem ser balanceadas. O ciclo é simples: adquira informação, a processe, a estabeleça como verdade pessoal ou não, em seguida, transmita essa ou outras informações. Um fluxo saudável para a mente, que, como Einstein dizia: “uma vez aberta à uma nova ideia, nunca retornará ao seu tamanho original”.

Obrigado por ter lido. Agora vá escrever!




GUSTAVO GALLI
Nada além de um pensador.
Saiba como escrever na obvious.

© obvious: http://obviousmag.org/minha_mente/2015/04/por-que-ler.html#ixzz3YSRGDkj4

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Incluir é... Proporcionar práticas inovadoras




















Trabalho apresentado no Mobrec 2015 Eixo 4c - Ensino Médio Politécnico.
As questões sobre inclusão sempre são relevantes e com este trabalho sei que contribuímos tanto para a experiência dos estudante quanto para a nossa e a dos participantes que assistiram hoje esta apresentação.

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Guia gratuito para criar ebooks com iBooks Author



By Carlos Pinheiro


A Apple Education disponibilizou recentemente um guia que ajuda a criar ebooks interativos com o iBooks Author, a ferramenta de criação de ebooks da Apple. O ebook está disponível gratuitamente na loja da Apple e pode ser descarregado e lido com o iBooks num Mac ou iPad ou com o Itunes em qualquer computador.


sexta-feira, 22 de maio de 2015

I FEEL SO ONLINE

publicado em design por Filipe Ramos

Você já publicou uma foto hoje? E um textão no facebook? Já deu algum abraço em alguém? E um sorriso para uma pessoa aleatória na rua? O Artista francês radicado em Londres criou uma série de ilustrações que criticam nossos comportamentos sociais e anti-sociais, de uma forma bem humorada, das nossas ações do dia-a-dia.



Vira e mexe, vemos críticas nas redes sociais ao modo de vida anti-social, por conta das próprias redes sociais, que apesar do nome vem nos tornando cada dia menos social.
Apesar de não querermos acreditar na realidade, o sucesso da vida no século XXI é cada dia mais medido por likes e seguidores. O artista francês Jean Jullien fez um trabalho de ilustrações/críticas ao nosso atual modelo de vida.

Allo? é sua primeira exposição solo em Londres, onde explora nosso comportamento social e anti-social, a forma como nós nos relacionamos e comunicamos uns com os outros de uma forma bem humorada mostrando a verdade nua e crua do nosso dia-a-dia.

jean-jullien-ilustracoes-satiricas-follow-the-colours-06.jpg jean-jullien-ilustracoes-satiricas-follow-the-colours-15.jpg
jean-jullien-ilustracoes-satiricas-follow-the-colours-03.jpg  jean-jullien-ilustracoes-satiricas-follow-the-colours-13.jpg
50x70-smoke.jpg jean-jullien-ilustracoes-satiricas-follow-the-colours-07.jpg


jean-jullien-ilustracoes-satiricas-follow-the-colours-08.jpg


Jean Jullien é um designer gráfico que vive atualmente em Londres, em 2011 ele criou o Jullien Brothers, um site de vídeos e em 2012 o News of the Time um Tumblr de charges, você pode conferir seus trabalhos em: 


© obvious: http://lounge.obviousmag.org/pausa_para_um_cafe/2015/05/i-feel-so-online.html#ixzz3azT7COTl
Follow us: @obvious on Twitter | obviousmagazine on Facebook



quarta-feira, 20 de maio de 2015

Digitando os textos

Digitação dos textos escritos colaborativamente utilizando os netbooks.

Preparando o que vai para o jornal Salgado News. Aguardem...

202

203

204

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Escrevendo Colaborativamente


Os estudantes das turmas 201, 202, 203 e 204 escreveram colaborativamente textos para serem publicados neste espaço e no jornal escolar. Praticaram depois de escrever a digitação dos textos utilizando os netbooks. O desafio era: divididos em grandes grupos (7, 8 alunos) cada aluno iniciar seu texto por uma sugestão (Ela tinha 15 anos... O vento soprava forte...) após algumas linhas o texto começa a rodar pelos alunos e todos contribuem em todos os textos. Quando o texto chegar novamente no estudante que o iniciou, este conclui o texto e coloca o título. 



204 Grupo 1

201 Grupo 2

204 Grupo 2

203 Grupo 2



sexta-feira, 15 de maio de 2015

Estudo aponta melhora no desempenho de estudantes após o banimento de celulares em escolas

13 de maio de 2015


Realizada em colégios ingleses, pesquisa mostra que proibição dos dispositivos na sala acarretou um aumento de cerca de 6% nas notas de alguns alunos.


Um estudo conduzido por pesquisadores das Universidades do Texas e de Louisiana a respeito das políticas de uso de aparelhos celulares em quatro cidades inglesas aponta que as escolas que baniram os dispositivos registraram uma melhora de até 6% nas notas dos seus alunos.

O levantamento batizado de "Tecnologia, distração e o desempenho de estudantes" analisou o desempenho dos estudantes desde 2001, antes e depois da proibição dos aparelhos nas escolas, em Birmingham, Londres, Leicester e Manchester, combinou esses dados com as informações sobre o desempenho dos jovens em exames nacionais externos.

Depois que os celulares foram proibidos, os estudantes na faixa etária de 16 anos tiveram um desempenho 6,4% maior que o desvio padrão, o que, de acordo com os pesquisadores, corresponde à adição de o equivalente a uma hora a mais de estudos na escola por semana, ou "cinco dias de escola por ano".

De acordo com Richard Murphy, professor assistente de Economia da Universidade do Texas, e Louis-Philippe Beland, professor da Universidade do Estado de Louisiana, autores do estudo, os resultados da pesquisa podem ser semelhantes nos EUA, onde 73% dos adolescentes têm um telefone celular — no Reino Unido, em 2012, esse percentual era de 90,3%. Os pesquisadores, no entanto, fazem uma ressalva quanto às conclusões do estudo.

PUBLICIDADE

"É importante notar que esses ganhos (nas notas) são proeminantes entre aqueles que têm notas menores, e que mudanças na política que permite celulares em escolas tem o potencial de exacerbar as desigualdades de aprendizagem", escreveram eles em um artigo no site The Conversation.

Eles afirmam que, enquanto o ganho observado em estudantes com notas menores foi o dobro do que aqueles com notas médias, o banimento de celulares não teve nenhum efeito entre os estudantes com notas maiores, e nem nos alunos na faixa etária de 14 anos — que tendem a usar menos os celulares.

Em 2001, quando o estudo foi iniciado, nenhuma das escolas analisadas havia banido aparelhos celulares das salas de aula. No entanto, em 2007, as instituições que passaram a proibir os dispositivos aumentou para 50% e, em 2012, para 98%.


Leia a reportagem no site original aqui

quarta-feira, 13 de maio de 2015

SAM 2015



SEMANA DE AÇÃO MUNDIAL 2015

De 21 a 27 de junho – em todo o Brasil 


1º ano do PNE: Semana de Ação Mundial 2015 debate metas para a educação 
no Brasil e no mundo

Os materiais podem ser solicitados até o dia 15/05 no site semanadeacaomundial.org
Entre os dias 21 e 27 de junho, acontece em todo o Brasil a Semana de Ação Mundial (SAM 2015) que este ano tem como tema o Primeiro ano de implementação do Plano Nacional de Educação (PNE), o Balanço do Programa Educação para Todos (EPT) e a Proposição para a Agenda pós-2015. Até o dia 15/05, estará disponível no site semanadeacaomundial.org a ficha virtual para solicitação dos materiais impressos da SAM 2015, que serão distribuídos gratuitamente para todo o Brasil. A SAM é uma iniciativa da Campanha Nacional pelo Direito à Educação.

Para debater o tema, além de audiência pública nacional prevista para o dia 25/06, em Brasília, diversas atividades autogestionadas serão realizadas em todo o país. No site da Semana, é possível encontrar importantes subsídios sobre a temática da SAM 2015, além de notícias, sugestões de atividades e indicações sobre como mobilizar escola, rede, ou comunidade em torno das ações da SAM. Assista e compartilhe o vídeo de divulgação da SAM 2015:https://goo.gl/E2172F.



domingo, 10 de maio de 2015

Como surgiram as comemorações do Dia das Mães?

A data comemorativa remonta aos tempos da Grécia Antiga

O segundo domingo de maio é um dia de festa todos os anos para os brasileiros: as famílias se reúnem para comemorar o Dia das Mães, que já se tornou uma tradição no país. Mas você sabe como surgiu a comemoração dessa data tão especial?

Deusa Reia, a mãe de todos
os seres vivos na Grécia
Os historiadores encontraram ainda na Grécia Antiga os primeiros vestígios de comemoração do Dia das Mães, ligados às homenagens realizadas à deusa Reia, considerada a mãe comum de todos os seres vivos. Nessa data, os gregos ofereciam presentes e oferendas à deusa, agradecendo por tudo o que ela havia feito por eles. Na Roma Antiga, havia uma celebração muito semelhante, visto que os romanos também eram politeístas e possuíam uma religião semelhante à dos gregos. A festa romana durava três dias, entre 15 e 18 de março, e dava-se em homenagem à Cibele, mãe dos deuses.




Imagem
O "Domingo das Mães" 
foi instituído ainda no 
século XVII, na Inglaterra
No entanto, logo no início da expansão do cristianismo, a comemoração ganhou um caráter monoteísta cristão, passando a festejar as alegrias de Maria, mãe de Jesus. A celebração só passou a tomar a forma que tem hoje na Inglaterra por volta do século XVII, com o surgimento da festa do “Domingo das Mães”, quando os filhos entregavam presentes para suas mães durante as missas. Os filhos que viviam longe de casa ganhavam folga do trabalho para visitar suas mães, fazendo com que a data se tornasse um dia especial para elas encontrarem seus filhos e ganharem presentes.




Anna Jarvis foi a autora do projeto
que institucionalizou o Dia das Mães
 nos Estados Unidos
Em 1904, Anna Jarvis deu a ideia de criar uma data determinada para homenagear as mães nos Estados Unidos. Jarvis queria homenagear sua mãe, que havia sido um grande exemplo feminino na Guerra Civil Americana por prestar serviços comunitários. A data foi oficializada em 1914 pelo Congresso, e o Dia das Mães tornou-se uma festa nacional sob o mandato de Woodrow Wilson, fazendo com que vários países seguissem o exemplo. A data passou a ganhar um apelo comercial, o que desapontou Jarvis, que passou a lutar pelo restabelecimento do caráter de amor e solidariedade que a data deveria representar, liderando uma campanha contra comercialização do Dia das Mães, em 1923. No Brasil, a data foi determinada em 1932 por Getúlio Vargas.

Fonte: Clickideia

sexta-feira, 8 de maio de 2015

Biblioteca digital: uma instituição sem paredes e limitações físicas

Por Liliana Giusti Serra
A implantação de um projeto de biblioteca digital representa uma nova forma de tratamento dos acervos das instituições. Organizar as informações de forma a permitir a consulta - independente de localização física ou geográfica dos pesquisadores e dos documentos - amplia o alcance da biblioteca e, consequentemente, da instituição mantenedora. A possibilidade de aliar a oferta de conteúdos com práticas de ensino representa um avanço tecnológico e educacional, consolidando a trajetória de instituições e preparando-as para atuar no ensino a distância, permitindo aos alunos e professores o acesso a mais variada gama de recursos até então inimagináveis pelas barreiras físicas e geográficas.

O modelo digital representa também um melhor investimento em acervos, evitando a duplicidade de documentos uma vez que eles estão disponíveis em seus locais de origem. Em suma, as bibliotecas digitais vieram para transformar a forma como são vistos os acervos, ampliando seu volume, alcance e comunidade atendida, permitindo acesso a conteúdos e serviços, contribuindo, desta forma, com a preservação de documentos, a disseminação das informações e a divulgação do conhecimento.

A biblioteca digital é uma evolução no tratamento dado à informação e aos documentos. Ela é formada por documentos eletrônicos - tanto os que já nasceram digitais como os que foram convertidos por meio de captura de imagem - em diversos formatos, armazenados em repositórios seguros que permitem a utilização simultânea por diversos usuários, com controle dos documentos por meio de políticas de acesso. Por este instrumento é possível disponibilizar íntegras aos usuários, ampliando o acesso aos registros e demolindo as paredes da biblioteca física, abrindo possibilidades de localização de informações em qualquer lugar do mundo, no horário desejado pelos usuários.

Para a construção de uma biblioteca digital é necessária a adoção de padrões de formatos de dados e protocolo de comunicação, sem os quais não é possível fazer o harvesting (colheita), ou seja, a coleta dos registros e documentos existentes em uma instituição e compartilhados com projetos colaborativos. Existem diversos projetos de bibliotecas digitais como a Europeana, Gallica, a Word Digital Library. No Brasil, destacamos o projeto da Biblioteca Nacional Digital (BND), a Biblioteca Digital de Teses e Dissertações (BDTD), a Biblioteca Digital Jurídica (BDJur, do Superior Tribunal de Justiça) e o LexML (Rede de Informação Legislativa e Jurídica, do Senado Federal), estes últimos, projetos da área jurídica. O módulo Biblioteca Digital do SophiA Biblioteca permite a criação de diversos repositórios, além de realizar o harvesting com provedores de serviços, intensificando o alcance do acervo, da biblioteca e da instituição. Dentre as outras funcionalidades constam o streaming para arquivos de áudio e vídeo, não ocorrendo o download dos arquivos.


Fonte: www.prima.com.br - 18/03/2015

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Cidadãos do Mundo


Recebi convite da Professora Dalva para falar para uma "Galera" mais que especial - turmas de 8º anos do IEE Salgado Filho! 
No dia 05 de maio, abordei vários temas entre eles: como pensamentos, sentimentos, palavras alteram nossas moléculas, consciência, princípios, valores, o cuidar de si, amar-se, a amizade, respiração consciente, Terapia Floral, Reiki. Senti o quanto estão sedentos por assuntos que transcendem a sala de aula. 

Obrigada jovens pela atenção, carinho e acolhida.



segunda-feira, 4 de maio de 2015