Leia sempre, a leitura transforma.

Leia sempre, a leitura transforma.



sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Expresso 7:40 - 2ª Edição


Aguardem!

A segunda edição do Expresso 7:40 – Jornal das Turmas de segundos anos do Ensino Médio Politécnico do Instituto Estadual de Educação Salgado Filho foi enviada para a impressão após ser revisada pelas turmas. Em breve apresentaremos o resultado dos trabalhos desenvolvidos em sala de aula na disciplina de Literatura Brasileira. A avaliação da primeira edição aparecerá na sessão “Quanto + Informação Melhor”, na página 7 do jornal. Tentamos contemplar algumas das sugestões para esta edição.

A riqueza dos textos e a oportunidade dos grupos mostrarem seus talentos nos fez publicarmos a coluna “Parodiando Gonçalves Dias” e “Gosto/Não Gosto” que fez muito sucesso, pois através desta atividade puderam conhecer um pouco mais seus colegas. A coluna “Opinião dos Leitores” foi ampliada a pedido, pois nela os estudantes indicam através da sua opinião obras que leram.

Motivar os estudantes a produzirem e mostrar a eles que o processo colaborativo de produção tem um resultado significativo para as turmas e para cada um é o meu papel neste momento. Não vejo minha prática pedagógica hoje sem este que é um instrumento de fazer a diferença na vida de cada um que participa. 


quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Manifesto do Movimento Nacional em Defesa do Ensino Médio sobre a Medida Provisória


Enviado por Paulo Carrano em sex, 23/09/2016 - 00:05

Não ao esfacelamento do Ensino Médio
O Governo Federal anunciou hoje (22/09/2016), por meio de Medida Provisória, uma reforma no Ensino Médio Brasileiro. Consideramos ilegítimo o uso da Medida Provisória para esse fim, o que se institui como forma absolutamente antidemocrática de promover mudanças no campo da educação. O Ensino Médio tem sido alvo de preocupações por parte de gestores, professores, pesquisadores e várias entidades da área, o que, por si só, justifica a necessidade de uma ampla discussão na sociedade brasileira, desde que considere os interesses e necessidades de todos os envolvidos, em particular de estudantes. Quanto ao conteúdo em si da referida Medida Provisória ressaltamos seus limites ao considerar apenas parcialmente as necessidades de mudanças, além do que as medidas anunciadas carregam em si perigosas limitações, dentre elas: o fatiamento do currículo em cinco ênfases ou itinerários formativos implica na negação do direito a uma formação básica comum e resultará no reforço das desigualdades de oportunidades educacionais, já que serão as redes de ensino a decidir quais itinerários poderão ser cursados; o reconhecimento de “notório saber” com a permissão de que professores sem formação específica assumam disciplinas para as quais não foram preparados institucionaliza a precarização da docência e compromete a qualidade do ensino; o incentivo à ampliação da jornada (tempo integral) sem que se assegure investimentos de forma permanente resultará em oferta ainda mais precária, aumentará a evasão escolar e comprometerá o acesso de quase 2 milhões de jovens de 15 a 17 anos que estão fora da escola ou que trabalham e estudam; a profissionalização como uma das opções formativas resultará em uma forma indiscriminada e igualmente precária de formação técnico-profissional acentuada pela privatização por meio de parcerias; a retirada da obrigatoriedade de disciplinas como Filosofia, Sociologia, Artes e Educação Física é mais um aspecto da sonegação do direito ao conhecimento e compromete uma formação que deveria ser integral – científica, ética e estética. Entendemos que, para alterar de fato a qualidade do que é oferecido e ampliar as possibilidades de acesso, permanência e conclusão do Ensino Médio seria necessário um conjunto articulado de ações envolvendo, para sua execução, as redes de ensino e esferas de poder em torno de uma ação conjunta. Dentre as ações necessárias destacamos: induzir a uma organização curricular que respeite as diferenças e os interesses dos jovens mas ao mesmo tempo assegure a formação básica comum e de qualidade; a consolidação de uma forma de avaliação no Ensino Médio que possibilite o acompanhamento permanente pelas escolas do desempenho dos estudantes com vistas à contenção do abandono e do insucesso escolar; a ampliação dos recursos financeiros com vistas à reestruturação dos espaços físicos, das condições materiais, da melhoria salarial e das condições de trabalho dos educadores; construção de novas escolas específicas para atendimento do Ensino Médio em tempo integral; indução à formação de redes de pesquisa sobre o Ensino Médio com vistas a produzir conhecimento e realizar um amplo e qualificado diagnóstico nacional; articulação de uma rede de formação inicial e continuada de professores a partir de ações já existentes como PARFOR e PIBID; fomento a ações de assistência estudantil com vistas a ampliar a permanência do estudante na escola; atendimento diferenciado para o Ensino Médio noturno de modo a respeitar as características do público que o frequenta; elaboração e aquisição de materiais pedagógicos apropriados, incluindo os formatos digitais; criação de uma rede de discussões para reconfiguração dos cursos de formação inicial de professores, envolvendo as várias entidades representativas do campo educacional, estudantes, professores e gestores; Desse modo, nos posicionamos contrários ao teor da Medida Provisória e conclamamos pela sua não aprovação pelo Congresso Nacional e abertura imediata de um amplo diálogo nacional. Mudar sim, mas para melhor!
Fonte: Anped

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Congresso Nacional de Leitura - CONALER 2016



POR QUE A LEITURA DE LIVROS É O QUE MAIS IMPACTA E TRANSFORMA A SOCIEDADE?!
Grandes nomes nacionais e estrangeiros estarão na tela do seu computador ou celular falando diretamente com você por que a leitura literária é o que mais transforma pessoas e impacta a sociedade. E, principalmente, mostrando como e o que cada um de nós - professores, bibliotecários, responsáveis por políticas públicas, autores, editores, livreiros, ONGs e... pais e mães - pode fazer para dobrar, em pouco tempo, o índice de leitura nos lugares em que atuamos, sejam escolas, bibliotecas, locais de trabalho ou em nossa própria casa.

POR QUE O CONALER
O momento exige de todos que atuam com livro, leitura, literatura e bibliotecas no Brasil reflitam sobre os rumos, encontrem caminhos e, sobretudo, assumam papéis e responsabilidades para fomentar e ampliar as práticas da leitura nas escolas e fora delas.

O QUE É CONALER

programação do Conaler 2016 - 1º Congresso Nacional de Leitura é composta por 35 eventos: 7 conferências, 21 palestras e 7 saraus, todos virtuais, com transmissão online e ao vivo pela internet de 10 a 16/10/2016 (segunda-feira a domingo), na Semana Nacional de Leitura, à partir das 19h.

QUANTO CUSTA PARTICIPAR DO CONALER
As inscrições para participar do Conaler 2016 são inteiramente gratuitas e dão direito a assistir, pela internet, a totalidade da programação.
Como modelo de negócios para financiamento coletivo da iniciativa, será oferecida aos participantes a opção de adquirir o Plano Ouro, que dará direito às gravações das conferências e palestras, 1 eBook com a transcrição das conferências e palestras e participação em comunidade fechada no Facebook que terá a presença de palestrantes e conferencistas.

QUEM FAZ O CONALER
O Conaler 2016 é organizado pela Fundação Observatório do Livro e da Leitura, instituição sem fins lucrativos, monitorada e aferida pela Curadoria de Fundações do Ministério Público do Estado de São Paulo, e que possui entre seus dirigentes personalidades com um histórico de atuação na questão do livro, leitura, literatura e bibliotecas no Brasil e no Exterior.
São apoiadores do Conaler 2016 o Instituto ProLivro, Câmara Brasileira do Livro (CBL), Sindicato Nacional dos Editores de Livros (Snel), Associação Nacional de Livrarias (ANL), PublishNews e o Blog do Galeno/Brasil Que Lê, entre outros.

Fonte: CONALER

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

6 aulas virtuais incríveis e gratuitas de literatura

Bruno Vaiano - Galileu - 21/09/2016
Não tenha medo. A literatura não é o bicho de sete cabeças que o colégio te fez pensar que era. Ela está nos alicerces da nossa cultura e sua influência está por todos os cantos. Ela está tão impregnada na nossa formação, na verdade, que é bem provável que você já goste de literatura e só não saiba disso ainda. A GALILEU selecionou aulas, palestras e entrevistas com grandes professores e críticos literários do Brasil e do exterior que te farão ir correndo para a livraria.

O curso legendado de 26 aulas sobre introdução à teoria literária de Paul Fry, da Universidade de Yale, nos EUA
É bom começar pelo começo. Paul Fry é especialista em poesia romântica britânica, mas aqui ele dá os alicerces para qualquer um que queira se aprofundar no uso estético da palavra. Seu curso, ministrado em Yale, passa por questões básicas, como “O que é literatura?”, e dá um panorama da história, das tendências e das linhas de pensamento da teoria literária. Perfeito para quem não quer fazer feio na mesa do bar — ou para quem quer chegar afiado a aulas, palestras e entrevistas sobre autores específicos como as que vem abaixo.

Stephen Burt, da Universidade Harvard, falando sobre porque as pessoas precisam de poesia no TED

Depois das densas aulas de nível universitário de Fry, você pode respirar vendo uma palestra de um dos mestres da crítica literária contemporânea, o norte-americano Stephen Burt, no TED. Ele fala de sua relação com a poesia com tanto amor que é fácil se esquecer de que ele é um acadêmico. Mas sua palestra é uma resposta curta e concisa a todos os céticos que perguntam qual é a importância dos versos.

André Malta, da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, falando sobre A Ilíada, de Homero

15.693 versos escritos há mais de 2 mil anos. É difícil imaginar um estudante que optaria espontaneamente pela Ilíada como leitura de final de semana. Mas o professor da Universidade de São Paulo (USP) André Malta não mede esforços em transformar o poema épico na coisa mais legal de que você ouviu falar hoje.

José Miguel Wisnik, professor aposentado da FFLCH da USP, músico e escritor, falando sobre o conto O Recado do Morro, de João Guimarães Rosa
O estilo de Guimarães Rosa é desafiador. Ele conhece a língua portuguesa tão bem que inclusive criou suas próprias palavras em incontáveis ocasiões (fizeram um dicionário só para ele). Suas obras são tão detalhadas e ricas em possibilidades de interpretação quanto seu uso do português, e elas podem ir de um pesadelo a uma experiência reveladora pelas mãos de José Miguel Wisnik, músico crítico literário e professor brasileiro. Wisnik te pega pela mão e vai revelando cada cantinho do conto central da obra Corpo de Baile. E você ficará impressionado com quanta coisa cabe em tão poucas páginas — ignore o cenário.

Munira Mutran, também da USP, falando sobre O Som e a Fúria, de Willian Faulkner

Quem tenta ler as primeiras páginas de O Som e a Fúria cai da cadeira. Um fluxo de pensamento interminável e impenetrável, com pontuação no mínimo ousada, introduz o leitor à mente de uma personagem autista. É por meio de seus olhos que começamos a assistir ao declínio de uma família aristocrática do sul dos EUA no início do século 20. A obra é incrível, e pode ficar melhor com uma ajudinha da professora Munira Mutran.

Ann Morgan, escritora e editora britânica, falando sobre como leu um livro de cada país do mundo

Nosso último vídeo não é sobre um livro específico. Mas sobre quantos livros ainda há para ler por aí. Ann Morgan, escritora e editora de livros britânica, resolveu ler uma obra literária de cada país do mundo para saber o que estava perdendo. E descobriu que era muita coisa. Um estímulo para você continuar atrás de cada vez mais aulas.


quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Gêmeas de 7 anos criam canal de vídeos sobre literatura infantil


G1 - 06/03/2016

As gêmeas cariocas Beatriz e Juliana Mello, de 7 anos, criaram um canal de vídeos no Youtube para divulgar dicas de obras literárias infantis: Dicas da Bia e da Juju. Até agora, já foram publicadas 24 gravações sobre livros de autores diversos: nomes consagrados, como de Ruth Rocha e Ana Maria Machado, e escritores jovens, como Thalita Rebouças.

A ideia surgiu quando a professora das meninas, na escola, sugeriu que elas treinassem mais a leitura em voz alta. Para estimular as irmãs a realizar o exercício, deu a dica de que registrassem tudo em vídeos, para poderem assistir depois e se autoavaliarem.

“Na hora de gravar, sugeri que contassem um pouco o que acharam do livro para ficar mais divertido”, conta a mãe das gêmeas, Ana Carolina Trotta, 39 anos. “Ao terminar, elas viram e pediram para mostrar ‘para todos os amigos e todas as crianças’.”

A primeira publicação de vídeo na Internet ocorreu em setembro de 2015, quando o canal ainda não tinha um nome. Seis meses depois, as irmãs continuam empolgadas com a ideia,

Juliana prefere as coleções Go Girl, Bruxa Onilda, Bruxinha Winnie e Casa Amarela. Também aprecia as revistas da Turma da Mônica, do Menino Maluquinho e do Riquinho. Já Beatriz constuma ler Ziraldo, Ruth Rocha e Ana Maria Machado.

A mãe das meninas garante que, além da escola, a família também sempre incentivou o hábito de leitura. "Uma mania que eu e meu marido sempre tivemos é, nas idas ao shopping, parar em uma livraria específica, e elas já pedem para ir lá. Adoram”, afirma Ana Carolina.




Fonte: Blog do Galeno

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

6 ferramentas gratuitas para criar infográficos

TODAS AS PLATAFORMAS OFERECEM DIVERSOS MODELOS CUSTOMIZÁVEIS

A REDAÇÃO2 DE SETEMBRO DE 2016Seja para dar aulas ou para fazer trabalhos escolares, os infográficos são uma ótima ferramenta, que organiza visualmente os dados, facilitando a análise de informações. Usando a criatividade, então, a comunicação é garantida!

Ao contrário de pouco tempo atrás, quando algumas pessoas esbarravam na dificuldade com desenho e com noções de comunicação visual, hoje não há mais desculpas: existem diversos programas que cuidam dessa parte automaticamente.

A seguir, seis opções de software gratuitos para fazer os mais atrativos infograficos:

Visme – a partir de diversos modelos de layouts, é possível criar apresentações ou relatórios próprios.

Infog.am – infográficos simples e intuitivos que, inclusive, podem ser combinados uns com os outros.

Canva – originalmente, é uma plataforma de design gráfico online, mas também serve nesse caso. Os modelos oferecidos são customizáveis.

Easel.ly – diversos modelos disponíveis, com uso intuitivo.

Google Charts – o diferencial é a conexão com o Google Drive. Permite, ainda, exportar ou incorporar os gráficos a outros documentos e páginas da web.

Piktochart – ferramenta exclusiva para infográficos, é completamente online e tem as opções de salvar criações na nuvem ou de baixá-las em diferentes formatos.

(Com informações do portal Educación 3.0)

Fonte: Arede

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Neurocientistas confirmam. Em 21 dias você reprograma seu cérebro

por Elaine Silveira

O título é impactante não é? Por que 21? 21 dias para mudar e transformar. 21 dias para ser uma pessoa mais feliz e de bem com a vida. 21 dias para começar a fazer yoga. 21 dias para meditar. 21 dias para mudar os hábitos alimentares…21 dias para abandonar e quebrar um hábito, como parar de comer carne, parar de fumar, parar de criticar, adotar condutas altruístas…etc

Tudo o que você precisa são 21 dias de determinação e disciplina fazendo ou deixando de fazer determinada coisa.

Você sabia que tudo o que você conquistou, assim como o seu padrão de pensamento e comportamento estão relacionados aos seus hábitos? Ou seja, os seus hábitos influenciam diretamente a sua qualidade de vida.



Os hábitos são, essencialmente, padrões de comportamentos e acabam se tornando uma parte do que somos. Quando algum comportamento se repete o cérebro cria vias sinápticas mais rápidas, de maneira que uma ação aciona a ação seguinte, de forma quase automática. Em 1983 uma mulher escreveu o artigo Three Weeks to a Better Me, naReader’s Digest, onde relatou sua experiência de 3 semanas de esforço em não criticar.

A neurociência explica como isso ocorre no cérebro. Já está provado por diversos estudos científicos que o cérebro tem duas formas de tratar as informações e ações vividas: uma de maneira consciente e a outra inconsciente. Mas talvez você pergunte: é possível fazer algo de forma inconsciente, sem nos darmos conta? Sim, é o que costumamos chamar de “modo automático”, são as ações que você executa sem a necessidade de prestar atenção em cada movimento. E muitas das coisas que executamos com frequência ao longo do nosso dia, de forma repetitiva, estão no modo automático, seja na nossa rotina doméstica ou mesmo no trabalho. Dirigir, por exemplo, é um hábito tão mecanizado que muitas vezes você sai de um lugar e chega ao outro e nem se lembra do percurso que fez, seja de carro ou mesmo a pé. Seu cérebro está tão treinado com aquele caminho que você o faz com a mente focada em mil e uma ideias, menos no ato de dirigir, caminhar ou no percurso.

Toda ação, primeiro, é consciente

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Acreanos criam aplicativo para promover venda de livros usados

Iryá Rodrigues - G1 - 02/09/2016


BookStop foi criado durante 'maratona de programação' em Rio Branco. Aplicativo ainda não está disponível para download, diz empreendedor.

Dois desenvolvedores do Acre criaram um aplicativo para promover a venda de livros usados na internet. Batizado de BookStop, o programa surgiu enquanto os idealizadores, Daniel Henrique e Giocondo Grotti, participaram do Hackathon, conhecido como “maratona de programação”, na última sexta-feira (26), em Rio Branco.

A ideia do aplicativo precisou ser apresentada e posta em prática em 24h, que foi o período em que o evento foi realizado, e a dupla ficou em primeiro lugar na competição.

Um dos idealizadores, Henrique, afirma que o aplicativo ainda está em processo de conclusão e, portanto, não pode ser feito o dowload.

“Já fizemos o mais difícil, que era organizar o banco de dados. Essa parte de estrutura era o que o evento exigia que fosse apresentado na competição. Mas, o aplicativo deve ficar pronto para dowload em no máximo um mês”, diz Henrique.

Ele conta que vendia livros usados na internet, por meio das redes sociais e tinha uma livraria, mas afirma que tinha problemas para negociar e apresentar os produtos para venda. A ideia do aplicativo veio da necessidade de organizar melhor o processo de venda. Os desenvolvedores salientam ainda o apoio do antropólogo paulista Daniel Belik no projeto.

O BookStop é como uma rede social, em que o usuário faz o seu perfil e cadastra os livros que pretende vender. Henrique explica que é possível ainda fazer a descrição do livro e inserir foto, nome do autor, título e o preço do livro. A expectativa dos empreendedores é ganhar dinheiro com a iniciativa.

Hackathon
O Hackathon é um evento onde programadores, designers e demais profissionais ligados a área de desenvolvimento se reúnem para criar um projeto que apresente melhorias para Rio Branco. A secretária de Ciência e Tecnologia no estado, Renata Souza, afirma que maratona de programação deve ter cinco etapas até o final do ano.

A terceira etapa ocorre, nesta sexta-feira (2), na Faculdade da Amazônia Ocidental (FAAO). O evento dá 24 horas para os participantes desenvolverem os projetos e colocarem em prática.

O primeiro evento foi feito no ano passado na Universidade Federal do Acre (Ufac). “O Hackathon tem o formato de incentivar os jovens e estudantes universitários que queiram desenvolver e ser jovens empreendedores. Nosso objetivo é incentivar o empreendedorismo nos jovens”, afirma a secretária.

Fonte: Blog do Galeno



segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Leitura do Trimestre

Passei para lembrar

O primeiro livro do trimestre será avaliado no final de setembro.





sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Jornal da Turma

Passei para lembrar

Imagens e textos para a  segunda edição: (Gincana, Dia do Estudante, Caminhada Cívica, Visita à Biblioteca, 1ª Edição, Talentos, Projetos Seminário Integrado, Textos, Leituras...)

Repassem por email.




quinta-feira, 8 de setembro de 2016

terça-feira, 6 de setembro de 2016

10 anos Blog do Galeno




O Blog do Galeno vai completar 10 anos! O aniversário é só no início de 2017, mas as comemorações começam já! E quem ganha os presentes são os leitores e seguidores do Blog.

O primeiro deles é o Retratos da Leitura no Brasil, organizado por mim, e que deu início à série histórica com 15 anos de pesquisas e análises sobre o comportamento leitor da população brasileira, com a participação dos maiores especialistas no assunto. Em breve, você receberá os outros volumes para completar a coleção, simplesmente essencial para quem trabalha com livros e leitura, seja no mercado editorial, em projetos e programas, em bibliotecas ou na sala de aula.

Baixe aqui seu livro no formato ePub ou PDF.

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Olímpiada de Língua Portuguesa - Fase Municipal


Os textos foram selecionados pela Comissão Julgadora Municipal composta pelas professoras de Letras: Denise Miletto, Nilza Pereira e Sandra Busnelo, a partir da inscrição na plataforma da Olimpíada Brasileira de Língua Portuguesa 2016.

Parabéns aos estudantes classificados e suas professoras!

Categoria: Crônica
Título: Vida
Aluna: Tayline Alves Manganeli
Professora: Mara Eloiza Martins Xavier
Escola: IEE Salgado Filho
Série: 9º ano

Que história é essa de brincar de viver? A vida é como uma peça de teatro, porém não possui ensaios, se dá bem quem sabe improvisar, pois quando menos esperamos ela nos apunhala pelas costas, nos dá o golpe, nos trai, nos derruba, nos machuca.
Nós não podemos brincar com a vida, mas ela sem permissão brinca conosco, às vezes nos fazendo chorar, às vezes rir. Nessa vida temos uma certeza: só alcança a felicidade quem luta por ela, mas quem luta incansavelmente, desconhecendo a palavra desistir.
Devemos tomar cuidado com determinadas decisões, feitas ao longo de nossa jornada, pois essas podem mudar drasticamente o destino de alguém ou o nosso mesmo.
O importante de verdade é aproveitar cada momento antes que seja tarde, antes que as cortinas se fechem e a "peça" termine sem aplausos.
Chore... brinque... sorria... viaje... ame... viva... e seja feliz, pois a vida está nos olhos de quem sabe ver.

Categoria: Poema
Título: Minha Vida
Aluna: Maria Eduarda Machada de Castro 
Professora: Mônica de Mello de Oliveira Aguiar
Escola: IEE Salgado Filho
Série: 6º ano

Vivo em um lugar belo;
Cresci correndo, pulando,
Rindo e brincando;
Pois nesse jardim singelo
tem tudo o que eu quero.

De manhã brinco de imaginar;
Chamo meus amigos da escola,
E vamos juntos estudar;
Onde aprendemos com igualdade,
A sermos cidadãos de verdade.

À tarde passeio pela cidade;
É uma verdadeira tranquilidade...
Ela tem muitos anos de idade!
Vejo casas, lojas e minha escola;
Também vejo garotos, jogando bola.

À noite depois do jantar;
Vou na minha cama deitar;
Nos meus sonhos continuo brincando;
Fantasias vou criando;
E assim vou sonhando...

Que vida boa,
É o lugar onde vivo!
Adoro esse lugar!
Tenho tudo que eu quero;
Nesse pequeno lugar, tão belo!

Categoria: Memórias literárias
Título: D'as bonecas ao pó
Aluno: Ruam Damm Marçal 
Professora: Mara Eloiza Martins Xavier 
Escola: IEE Salgado Filho
Série: 8º ano

Certa vez, minha mãe me contou como era no seu tempo, seu tempo de menina, de jovem. Não tinha eletrônicos, não tinha nem mesmo estrada asfaltada para andar.
Mas era feliz, feliz como ninguém poderia ser, no auge da sua inocência.
Lembrou-se, com os olhos brilhantes, das suas bonecas de pano, seu único divertimento, além de é claro, brincar com seus irmãos, seus parentes.
Fiquei triste por ela. Ora, apenas uma boneca de pano para se divertir? E então, a ela eu disse o quanto de pena sentia.Ela, com um sorriso no rosto, disse-me o quanto se divertia, anos 60,70 e era tão feliz quanto se podia ser. Morando fora da cidade, andando por horas no sol, carpindo, correndo, tendo o tempo da sua vida.
As coisas mudaram, sua vida mudou, mudou de cidade... mentalidade... e por fim, abandonou as suas bonecas... antes, umas das suas únicas companheiras, agora, apenas pó ao vento.


quinta-feira, 1 de setembro de 2016

UFRGS lança plataforma de cursos online gratuitos


De acesso livre, a plataforma possibilita a auto-organização dos estudos no ritmo do aluno.
Foto: Cadinho Andrade
Foi lançada na tarde desta terça-feira, 30 de agosto, a plataforma Lúmina, destinada a oferecer cursos online, massivos e abertos ao público, conhecidos como MOOCs (Massive Open Online Course). Criada pela Secretaria de Educação a Distância (Sead), juntamente com o Centro de Processamento de Dados (CPD), seu lançamento oficial ocorreu no mezanino do Museu da UFRGS, oportunidade em que também foi comemorado o aniversário de 14 anos da Sead.
Gratuito e de acesso livre, a plataforma possibilita a auto-organização dos estudos no ritmo do aluno. Para a professora Mara Lúcia Fernandes Carneiro, secretária de Educação a Distância, salientou esse tipo de oferta de curso já era desejada pelos discentes. “O desafio é incentivar os professores a tomarem conta do Lúmina. Eles produzirem e disponibilizarem os seus cursos nesse espaço”, ressalta a secretária.
Baseada na plataforma Moodle, mas totalmente reconfigurada, a ideia foi desenvolver um ambiente próximo ao que os professores já estão acostumados e que pudesse ser utilizado, inclusive, para disponibilização de materiais didáticos e exercícios aos alunos da graduação, em complemento às aulas presenciais.
O reitor Carlos Alexandre Netto realçou, durante o seu discurso, o significado da plataforma para a Universidade. “Lançar uma plataforma como o Lúmina numa universidade como a UFRGS é muito importante. É a proposta de luminar a sociedade com o conhecimento e saber”, salienta.
Inicialmente, serão publicados oito cursos, produzidos pelos professores junto com a equipe do Núcleo de Apoio Pedagógico à Educação a Distância (Napead): Avaliação de Enfermagem, Poesia Grega, Química Geral, Cinética Química, Odontogeriatria, Literatura Russa, Avaliação em Usabilidade e Karatê-do. “Avaliação de Enfermagem” será o curso-piloto, com previsão de início em setembro de 2016. Em breve serão disponibilizadas mais informações sobre os demais cursos.

Fonte: UFRGS