Leia sempre, a leitura transforma.

Leia sempre, a leitura transforma.



sexta-feira, 9 de novembro de 2018

"Netiqueta", os bons costumes na Internet

Chamados de "Netiqueta", os bons costumes na Internet já vieram praticamente juntos com ela

A conversa hoje foi sobre "Netiqueta' - os bons costumes na Internet com as turmas do 8º e 9º ano da E. M. Coronel Pimba a convite das professoras Ednara Roos e Ariane Pereira Salles​

Etiqueta e ética são essenciais para uma boa convivência na Internet.

Etiqueta faz diferença também no mundo virtual

O comportamento ético é aquele que colabora com a busca da felicidade, normatizando racionalmente as relações entre as pessoas.

Foi gratificante conversar com vocês!


A imagem pode conter: 15 pessoas, incluindo Denise Miletto, pessoas sorrindo, pessoas em pé e área interna

quinta-feira, 8 de novembro de 2018

Café com Autor

Assim fomos recebidas na E.M. José Batista Pompeu
Gratificante poder estar com adolescentes refletindo sobre inteligência emocional, importância da leitura, da escrita e o quanto tudo isso fará grande diferença na vida de cada um e quando mais cedo iniciarmos melhor. Parabenizo a Equipe Diretiva, professores em especial as professoras Bruna Carvalho e Silvana Carlotto Braga e estudantes da E. M. José Batista Pompeu pelo evento Café com Autor realizado nesta manhã com a presença da Patrona da Feira do Livro colega Andréa Vianna Gonçalves e Celaine Padilha representando a Smec. 
Foi um privilégio apresentar os livros da coletânea Phases para estes estudantes e professores.











quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Autor presente nas Escolas Municipais

A roda de conversa de hoje foi na E.M. Clotário Fouchard acompanhada pela patrona da Feira do Livro Andréa Vianna Gonçalves, Celaine Padilha representando a Smec, professoras de Língua portuguesa Sibéle Corsini e Dilza Maroneze e demais professores e diretora Elaine Aragon. Foi uma manhã proveitosa com as séries finais do ensino fundamental. 
Foi enfatizado a importância da leitura, os estudantes que receberam um adesivo para lembrá-los de lerem no mínimo 15 minutos por dia.


Gratidão aos estudantes e professores que estiverem presentes. 









A tarde foi muito produtiva na zona rural, as E. M. Duque de Caxias e São Conrado nos receberam calorosamente. Poder viajar pelo interior e observar às riquezas que temos é gratificante. Os trabalhos dos estudantes que serão apresentados na Mostra Pedagógica que acontecerá juntamente com a Feira do Livro nos dias 22 e 23 estão sendo preparados. Foi um bate-papo interessante com os estudantes. Aguardamos vocês nesta data.









quarta-feira, 31 de outubro de 2018

Roda de Conversa

Roda de conversa com estudantes do 6º e 7º ano da E. M. Wilson Azambuja Vieira coordenada pela professora Vera Cáceres Nunes, atividades que antecedem a Feira do Livro (22 e 23/11) com a presença da coautora do livro Phases Denise Miletto e da Patrona da feira Andréa Vianna Gonçalves. Gratidão a equipe diretiva, professores e estudantes que nos receberam nesta manhã.

terça-feira, 30 de outubro de 2018

Roda de Conversa 8º e 9º Ano

Estudantes do 8º e 9º ano e professora Bruna Carvalho da E.M. Wilson Azambuja Vieira realizaram trabalho com autor presente a coautora do livro Phases Denise Miletto. A Patrona da Feira do livro Andréa Vianna Gonçalves prestigiou a roda de conversa. Os estudantes apresentaram reflexões e aprendizados a partir das leituras realizadas.

Gratidão pelo carinho.

sexta-feira, 26 de outubro de 2018

O desafio de uma página em branco

Todo e qualquer começo é desafiador e o da página em branco é muito desafiador.
O que escrever, como escrever, sobre o que escrever, por que escrever?
As palavras tanto faladas quanto escritas carregam a energia de quem as profere ou escreve.  Estar em completa conexão faz de você alguém com uma condição diferente. Tudo que você fizer vai ser diferente, pois você tem consciência de como a energia está interligada a tudo e a todos.
A consciência traz uma condição de responsabilidade, de equilíbrio. A condição de responsabilidade faz com que assumamos que podemos sim fazer diferente, sermos diferentes e buscarmos coisas também diferentes. A consciência e a responsabilidade possibilitam que cada um de nós faça a sua parte deixando de esperar por promessas ou por qualquer que seja a condição que possam ter nos colocado.
O que temos visto é uma constante devaneio de inconsciências. É duro dizer isso, mas pare um pouco para pensar o quanto você tem se ocupado com as suas necessidades de melhorar-se como ser, de cumprir sua missão, de ser feliz? Quando termina o campeonato do time, passa para o próximo turno das eleições, quando você vê está no final do ano e o que você fez por você? Envolvemo-nos com tantas coisas pequenas no dia a dia com os fuxicos nas redes sociais, com o disque me disque, com comentários que não nos levam a lugar nenhum, não paramos para nos cuidar, para nos sentir, para nos amar.
Vive-se na inconsciência de que as coisas mudam a partir de cada um, de mim, de você. Espera-se que os outros mudem, que os outros façam, que os outros digam o que fazer e assim vivem alienados, descrentes de que tudo pode ser diferente.
Eu acredito que posso sim construir um mundo melhor a partir de mim e tenho consciência de que sou responsável pelo papel que estou desempenhando neste agora, neste tempo presente que é o único tempo que posso realizar, construir a partir do meu pensamento, dos meus sentimentos, da minha ação.
Eu acredito que posso sim fazer mudanças substanciais a partir de mim mesma, pois as mudanças que preciso fazer são aquelas que dizem respeito a mim, são de minha inteira responsabilidade.
Eu acredito que tudo vai mudar quando cada um assumir a sua responsabilidade de ser feliz e não deixar a sua felicidade na mão de ninguém.
Eu acredito.
E você?

Denise Miletto


24/10/2018 às 16h

terça-feira, 11 de setembro de 2018

A Aula Final

Inspirada no livro A Lição Final de Randy Pausch que faz uma palestra de despedida, imaginei como poderia fazer a última aula. Desde que li esta obra pensava como seria. E assim com a ajuda dos alunos formatei minha última aula no IEESF com as turmas de segundos anos do ensino médio no dia 11 de setembro de 2018. Eles fizeram muitos questionamentos sobre as profissões que exerço, sobre a minha pessoa além da escola. Uma a uma foram respondidas, foi uma experiência magnífica. 

Muitas vezes me questionei se estava fazendo bem meu trabalho, acredito que como educadores não podemos nos acomodar e precisamos estar sempre em busca de algo mais, de fazer a diferença na vida daqueles que passam pela nossa sala de aula. 
















Eis alguns questionamentos:

A Melhor experiência que viveu dando aula

Transformar os alunos em leitores apaixonados é uma das melhores experiências. Desenvolver o “Programa de Leitura: Uma Paixão Chamada livros” e utilizar diversas mídias (como o microfone, o blog, o jornal) ficou na lembrança de inúmeros alunos e na minha ficará também.

Tenho certeza que a Literatura ajudou muito fazendo com que alunos descobrissem seus talentos e muitos acabaram escolhendo Letras, jornalismo, comunicação e hoje são pessoas que se destacam.

A surpresa que as turmas e colegas fizeram do dia 21 de agosto deste ano, um mês antes de encerrar minhas atividades, surpresa mesmo, acredito que isto marcará para sempre.

Momento importante é ter o reconhecimento por seus alunos e ex-alunos o que você passou em sala de aula, não falo aqui da disciplina, mas algo que fica da tua conduta ou daquilo que você sabe que fará a diferença na vida. Usei como bandeira a leitura e a escrita, enfatizei muito a leitura porque 
através dela encontrei muitas respostas para mim e a leitura me trouxe conhecimentos, consciência e muita responsabilidade por tudo aquilo que aprendi e que consegui passar para tantas pessoas, estudantes principalmente, adolescentes que me desafiaram ao longo destes anos todos. Muitos pais reclamam porque têm 1, 2 adolescentes em casa. Na escola temos muitos na mesma sala e isso é desafiador cada um com suas habilidades, características, problemas, desafios. Escolhi trabalhar com ensino médio em função de tudo isto, aprendi muito e me realizei como ser humano trabalhando com vocês. Fui muito feliz pelo trabalho que realizei. 

Em que momento você sentiu que tinha escolhido a profissão que você gosta?

No momento que você percebe que com seu trabalho você deixa marcas na vida dos alunos e faz com que eles percebam que podem também fazer sua parte neste mundo, serem pessoas do bem e contribuírem para um mundo melhor assim como eu.

O professor é aquele ser que por trás de uma disciplina faz com que outros ensinamentos sejam passados. O professor é alguém que está sempre sendo observado pelo grupo que está a sua frente. Seu comportamento, sua postura, ética, atitudes, ponderações tudo de alguma forma educa, ensina eis o grande mistério de ser professor.

Muitas atividades desenvolvidas na sala de aula fizeram com que vocês expressassem o mais íntimo de cada um, consegui assim trabalhar com vocês um pouco das terapias que conheci e trabalho no atendimento como terapeuta.

De onde veio a ideia de fazer aulas criativas e mais divertidas?

Eu acredito que a criatividade é o diferencial em qualquer profissão e sempre gostei de criar coisas novas como a literatura, as artes.

Desde o início da minha carreira proporcionei aulas diferentes e isso foi dando certo, tem aulas que a intuição veio na madrugada, fazia anotações, depois montava a aula, as formas de avaliação também e acredito que consegui encerrar esta etapa fazendo avaliações de formas diversificadas, embora neste ano não utilizei o blog e o programa de leitura como gostaria, mas fiz com que vocês escrevessem sobre diversas coisas.

Um dos meus sonhos é transformar o mundo num lugar cada vez melhor e isso só é possível através da mudança de cada um, ajudar as pessoas através de terapias e de palestras e escrever algo que possa ajudar as pessoas que leem .

A sensação que sinto após 35 anos é de missão cumprida, de ter feito a minha parte de ter ensinado e aprendido com vocês.