Leia sempre, a leitura transforma.

Leia sempre, a leitura transforma.



segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Deixe seu coração fluir

O resultado aqui apresentado partiu da inspiração da crônica Deixe seu coração fluir dAuana Sonsin que tem 24 anos, é dona do blog Vitamina Trendy, mora em Bragança Paulista e é formada em Publicidade e Propaganda. 


Meu coração quer falar!
Ai se eu falasse tudo que meu coração sente, várias pessoas não seriam meus amigos, bom a gente tem que saber falar e demonstrar os sentimentos, pois as palavras tem um poder enorme, se algo for mal colocado pode mudar sua vida.

Às vezes eu quero ser uma pessoa mais sincera, mas não dá para ser, escuto coisas e opiniões contrárias a minha, a metade delas são erradas, eu não posso falar nada, pois, não sei o que essas pessoas passam temos que nos colocar no lugar delas antes de dar uma opinião.

Meu coração vou falar dele, ele sofre, chora quer coisa que ele não pode ter, os sentimentos que corre pelo coração às vezes não dá para aguentar da vontade de chorar, gritar, falar, meu coração quer ajudar as pessoas, pena que não posso ajudar todo mundo e tem muita gente que não aceita a gente.

A gente tem que se amar e acreditar que tudo é possível, temos que riscar a palavra impossível do nosso dicionário, pois tudo é possível é só ter força, foco e fé, que tudo pode acontecer.


A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, close-up e área internaPatrícia Bernardi, 204


Se meu coração falasse

Ele pediria mais Amor

Não qualquer tipo de Amor

Ele pediria um amor que ninguém conseguisse explicar, que apenas sentisse e não falasse nada.

Aquele Amor que chegasse do nada e se tornasse tudo em sua vida.

Que você olhasse nos fundos dos olhos e a pessoa apenas sorrisse. 


A imagem pode conter: 1 pessoa, close-upAlexandre Vieira, 203




Sem ter medo de quebrar a cara ou o coração


Muitas vezes, nos fechamos, nos calamos e deixamos tudo passar, por medo de demonstrar nossos sentimentos, medo de deixar nosso coração falar mais alto.

Porém, temos de deixar as emoções, sentimentos falarem. Não podemos guardar tudo para nós, temos de compartilhar isso, sem ter medo de quebrar a cara ou o coração.

Ninguém sabe quando alguém vai mexer conosco, não temos noção do impacto que alguém irá causar em nossas vidas.

Esse sentimento chega de mansinho, como quem não quer nada, e vai se intensificando, ficando cada vez mais forte, até ser impossível de evitarmos.

Tendo como única solução, colocar para fora estes sentimentos, demonstrando, sem pensar nas consequências.


A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, close-upRafaela Silveira Lamera, 202




Deixe o coração fluir


Amor? Ah o amor, palavra tão linda, pura e sincera. Que muitos dizem sentir, mas não praticam em seu dia a dia, quem ama cuida, zela, é amigo(a), conselheiro(a), nas horas difíceis está do teu lado, dá apoio, protege... É quem dá amor sem pedir nada em troca, é olhar para um coitado sem sentir desprezo, e sim vontade de ajudar, fazer o bem sem olhar a quem. É também sobre ter pessoas reclamando menos e fazendo mais, positivas, otimistas com a vida, sempre procurando o melhor, pra si e para os que te rodeiam, é zelar pelos amigos e a família, é perdoar para se sentir perdoado, perdoar os erros, porque quem é perfeito, que atire a primeira pedra, somos todos seres humanos, estamos sujeitos a errar, e nos colocar em situações, onde pessoas estão em jogo, na maioria das vezes quem mais amamos, mas pra todo o arrependido, existe o perdão. E para que todas as coisas ruins vão embora, precisamos exercer o perdão, as vezes por tão pouco, deixamos pessoas maravilhosas de lado, por orgulho.

A vida é tão curta para criarmos tantas desavenças, precisamos viver e praticar mais o amor, em cada instante, tantas pessoas precisam desse sentimento, não levamos nada dessa vida, apenas deixamos o que fomos, e o que fizemos enquanto estivemos visitando a terra! Ame! Pois não sabemos o dia de amanhã.

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, óculos e close-upDenise Vidal, 202



Se você deixasse o seu coração falar, o que ele diria?


"NESSE MUNDO DE LOUCURAS ME PERCO ENTRE TANTAS FIGURAS"

Digo figuras pois o mundo tem seu álbum quase completo, completo por figuras boas, ruins, bonitas, feias,... E além desse álbum completo, tem, principalmente, aquele lixo com figuras repetidas e cá estou. Poderia dizer "Pote" mas me diga: Você coloca num pote figurinhas repetidas? Se vimos que já temos, jogamos na rua, na rua vai com o vento e com o vento varridas para o lixo, e esse lixo vai pra onde? Eu estou aqui, perdida, pois para o meu azar já não tive lugar... Mas quem disse que é tão trágico? Não é porque escrevi que não temos lugar naquele álbum que é o fim. 

Já ouviram "Lixo em mãos de artista vira arte"? O mundo tem no seu álbum pessoas com potencial, mas e nós? Não temos? Claro, fomos repetidas... E se eu te contar que pessoas tem uma "folha" com lugar para apenas uma só figura? E sim, essas figuras tem seus pares e eu tive a sorte de encontrar o meu par. Posso não ter sido escolhida pelo mundo pelo pouco de potencial, mas hoje vivo no meu mundo graças ao meu par de figura. Ninguém é feliz sozinho e eu sou feliz por descobrir isso com o meu amor, o meu eterno par.
Descubra o seu mundo e viva nele (ou com ele).
Obs.: O meu mundo é o meu amor!

Ana Clara Pereira, 201


sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

NOSSAS FASES

O resultado aqui apresentado partiu da inspiração da crônica  Nossas Fases dAuana Sonsin que tem 24 anos, é dona do blog Vitamina Trendy, mora em Bragança Paulista e é formada em Publicidade e Propaganda. 



Nossas Fases


Tem vezes em que eu não estou bem, que parece que tudo está fora do lugar, que tudo está perdido, inclusive a “esperança” de que as coisas vão melhorar.
Tem algumas fases em eu me sinto a pior pessoa do mundo, um “barquinho de papel no meio do mar”, e as pessoas, elas me entendem? Elas ficam do meu lado tentando me ajudar?

Bom... Algumas sim, mas outras abandonaram na primeira dificuldade que tiveram. O que se passa na cabeça dessas pessoas? Que o “fugir” do “problema” é o mais fácil? É, pode até ser mais fácil, mas e será que abandonar alguém só porque ela não está numa fase boa é o mais justo? Digo, justo não só comigo, mas consigo também.

Cadê o sentimento dessas pessoas? Cadê? Como umas pessoas podem ser tão diferentes umas das outras?

Eu conheço duas pessoas assim, que foram diferentes nesse ponto de vista. Muito diferentes.

Um, no pior momento da minha vida, “abandonou o barco”. E o outro, estava apenas esperando a chance de “pular para o barco”, que corria risco de “afundar”.

E bem... Hoje eu acredito que as coisas podem melhorar, que sempre vai ter alguém no meio da imensidão que vai te ajudar a tocar esse “barco” para frente, pode acreditar. 


Marciéle Oliveira da Silva, 201


Fases

Na nossa vida,
Temos muitas fases.
Explosões de sentimentos
Que não sabemos explicar
Vivemos momentos felizes
Outros nem tanto.
Porém na vida
Nada é eterno
Só devemos sentir
Os sentimentos sinceros

A imagem pode conter: 1 pessoa, selfie e close-upLarissa Muller, 202



Fases

Fases, ah todos nós temos fases, nossos dias bons e ruins, cabe a nós decidir como aproveitar cada momento.

Eu penso que os dias ruins, são para nós refletirmos sobre algo de errado lá de trás, não que possamos mudar, o passado já foi, mas sim repensarmos e fazermos melhor outra vez, seja consequência de algum mal pensamento, mal julgamento de alguém, mas, qual seria a graça dos dias bons se nunca tivéssemos desgostos na vida?

Penso também que, Deus na maioria das vezes, desafia nossa capacidade, de entender, compreender e saber até onde vai nossa força e persistência para resolver cada problema, uma doença, perdas, morte, ou seja uma simples dor... temos que superar, independente do que seja, mas superar, ou aprender a conviver com certos “vazios”, dar a volta por cima sem pisar em ninguém, e com a cabeça sempre erguida. Ter fé, acima de tudo!

Digo sempre que temos que aproveitar cada segundo da nossa vida, nossos dias, pois não sabemos o que vem pela frente, independentemente do que for, guardamos no coração tudo que for bom, e o que for ruim, olhamos para o outro lado sempre tirando algum exemplo ou aprendizado.

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, óculos e close-upDenise Vidal, 202

Nossas Fases

Queria mesmo era estar bem o tempo inteiro, mas as coisas que sentimos são naturais e imprevisíveis. A gente muitas vezes sente oque não queria sentir. Quem dera fazer o que não se pode fazer, mas o nosso autocontrole fala mais alto. É, os nossos sentimentos são incontroláveis, podemos disfarçar eles, mas nunca deixar de sentir.

Não tem como ser tudo perfeito, a gente precisa dos dias ruins, das decepções, dos medos. Querendo ou não isso nos ajuda. Os dias ruins servem para mostrar que como nas horas boas valem a pena, as decepções servem como lição, servem para nos deixar fortes e os medos servem para enfrenta-los.

Então, se estiver num dia ruim, não precisa fingir que está bem, fale o que sente, diga o motivo do seu dia estar ruim, você não precisa estar bem o tempo todo. 



A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, óculos e close-upMikaele Pereira, 203


Nossas Fases


Às vezes é difícil estar bem todo tempo sabe, porque às vezes a gente está ruim ou triste, insegura por coisas, gestos ou atitudes das pessoas, a gente até tenta não transparecer os sentimentos sabe!

A gente tenta parecer tudo normal, sorrimos todo o tempo, fazemos graça para não demonstrar as coisas e os sentimentos, mas confesso que é difícil ser forte o tempo todo, tenho vontade imensa de chorar, mas sei que seria banal chorar seria um modo de amenizar a dor e não tirá-la!

Hoje em dia aprendi a controlar isso, estou bem melhor, sorrio mais, sou feliz, claro que não estou 100%, mas considero que uns 50% curada disso.


A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindoThaís Medeiros, 204

Encanta-me ver os estudantes produzindo com toda a sensibilidade.
Continuem lendo e escrevendo muito!
A leitura e a escrita transformam.

Professora Denise Miletto

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

O Sopro da Natureza

Madrugada de quinta-feira, 19 de outubro de 2017:
Você já viu sua vida mudar em um piscar de olhos?
É incrível como em um momento as coisas parecem estar tranquilas e, de repente, toda a calmaria acaba, o pior é o silêncio ensurdecedor que vem depois disso, são os seus pensamentos.
você já parou para ver e pensar sobre o quanto a natureza parece perfeita? É tudo tão lindo, tudo é vida!
A natureza tem diversos admiradores, mas também tem aqueles que não se importam muito com ela, e então ela se revolta.
A revolta da mãe natureza é consequência do mal que nós, seres humanos, fazemos a ela, às vezes sem perceber, às vezes sem ter consciência do mal que estamos fazendo a nós mesmos e, às vezes, com total consciência, pois a ganância do homem o levará à sua própria ruína.
Na data especificamente citada, a mãe natureza não estava nem um pouco feliz. E foi aí que em um piscar de olhos tudo foi destruído.
Sempre quando eu via que um temporal se aproximava, ficava preocupada, mas naquela noite pensei “logo passa”, só que não passou.
Encontrei minha mãe segurando uma porta para trancar, ajudei ela e fomos acender uma vela, “meu Deus, proteja todas as casinhas”, minha mãe sempre falava isso, fui para o quarto dela, como sempre fazíamos, e então a vela se apagou.
Foi como se a mãe natureza soprasse a vela, com a força do vento o teto foi sendo arrancado e o forro caindo, claro que entrei em desespero, minha mãe disse que a gente não poderia fazer nada, e então eu deitei sobre o meu irmãozinho que ainda estava dormindo, pra tentar proteger ele, parecia que tudo iria desabar sobre nós.
Isso não é um sonho, isso não é um sonho. Eu repeti isso na minha cabeça várias vezes, eu sabia que não era um sonho, mas desejava que quando amanhecesse nada daquilo tivesse realmente acontecido.
Chuva, não parava de chover. Minha mãe, meu irmão e eu estávamos completamente molhados, chovia dentro da nossa casa da mesma maneira que chovia na rua.
Vento, eu não faço ideia do tempo que durou aquele temporal, parecia que não iria passar nunca, e agora parece que durou apenas um milésimo de segundo. Eu tenho flashes sobre aquela noite.
Quando tudo se acalmou, menos a chuva, saímos do que antes era a nossa casinha, e naquele momento era um caos, haviam coisas caídas e espalhadas por todo o lugar, e fomos passar o resto da noite na casa de uma das vizinhas.
Eu não conseguia dormir, mantive os olhos fixos no teto, pensando em como a nossa casa estava, em como tudo que a gente lutou pra ter e que tínhamos tanto carinho, estava debaixo da chuva. Foi inevitável pensar nos meus livros, há mais ou menos quatro anos atrás me apaixonei por livros, tinha uma adoração pelos meus livros, arrumadinhos nas prateleiras, eram eles que davam vida ao meu quarto de cores neutras. Naquele momento estavam abaixo de chuva.
Pensei nos meus pais, eu sabia que nada tinha sido fácil para eles, quando eu era pequena a gente tinha que alugar casas para morar porque não tínhamos uma nossa. Eles conseguiram ter a própria casa, mas agora ela não parecia mais um lar.
Quando amanheceu minha mãe entrou na nossa casa com um guarda-chuva. Eu tive vontade de desistir de tudo, sabe? Uma onda de tristeza se espalhou sobre meu corpo e minha mente, eu não queria mais morar naquele lugar.
Então eu mesma me dei um tapa na cara, eu já tinha passado por coisas piores, já tinha perdido meu pai e, meu Deus, o que é mais importante que uma vida?
Todos estavam bem, logo iríamos nos recuperar, arrumar a nossa casinha. E foi o que aconteceu, graças à ajuda de pessoas boas que nos querem bem.
No fim daquele dia nossa casa já havia sido coberta, e eu comi um sanduíche só com pão e queijo, e tomei uma caneca cheia de café, pela primeira vez na vida eu tomei todo o meu café. E sabe por que eu acho importante contar isso? Porque eu estava com fome, de verdade, e estava agradecida por estar bem e ter o que comer.

Sexta-feira, 20 de outubro de 2017:
Na sexta era o aniversário de oito anos do meu irmão, claro que os planos de fazer uma festinha haviam sido arruinados, nem tínhamos clima pra isso, mas eu sabia que ele estava chateado, então comprei refrigerante, salgadinhos e chocolates e levei ele na praça, então “comemoramos” o aniversário dele, sentados no banco da praça, comendo bobagens. Eu sei que foi simples e que ele merecia muito mais, mas nunca vou esquecer a gratidão que vi nos olhos dele, espero que ele nunca se esqueça também. No fim da tarde daquela sexta-feira alguns amigos nossos levaram uma torta para o meu irmão, ele ficou muito feliz, e eu, eternamente grata.

Domingo, 3 de dezembro de 2017:
Só agora consegui escrever sobre isso, falar sobre mim e sobre as coisas que passei sempre foi difícil.
E hoje eu agradeço à mãe natureza pelo recado que ela me deu. Hoje consigo dar muito mais valor para tudo o que tenho, eu sei que a minha vida é breve, vivemos o agora, não sabemos quando nossa vida vai acabar, mas eu tenho certeza que não será o fim, espero levar dessa vida somente sabedoria, pois os bens materiais não tem valor algum, podemos viver somente com o essencial, e o amor é essencial!
A imagem pode conter: 1 pessoa, close-up   Nátaly Bianchini, 202.

Quando vejo meus alunos produzindo assim, não tem como não ficar emocionada. Missão cumprida, muita leitura e escrita. Acredito no potencial de vocês!

Professora Denise Miletto

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Sobre Saudade

Vitor 
Meu nome é Vitor saí de casa dia 15 de setembro de 2015, para me divertir com meu amigo. Fui até a casa dele e decidimos dar uma volta de carro e no calor do momento damos uma “corridinha” que acabou em uma tragédia, eu parti para outro lugar, não sabia onde eu estava, era tudo tão estranho, a escuridão tomou conta de mim.
A partir desse momento eu apaguei e lembro-me que acordei em um lugar distante e vi que não fazia mais parte desse mundo, vi o sofrimento da minha família e dos meus amigos, e o pior de tudo foi não poder fazer nada para acalmá-los, pois já estava tarde demais, já não estava mais fazendo parte desse plano espiritual.
Hoje já estou melhor, já se passou 1 ano e 7 meses, digamos que já me adaptei nesse novo lugar, mas a saudade que tenho é demais cada dia aumenta um pouco e nem que eu queira eu não consigo voltar para ver quem eu tanto amo, se eu soubesse que aquela saída resultaria em uma tragédia nunca teria saído de casa. Eu com certeza estaria aqui com minha família e amigos alegrando a todos como sempre fiz.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, selfie e close-up Lauren Porche Correa, 201


sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

“De um temporal”

De um temporal
tantos estragos,
da mudança de rotina
há mais diálogo,
da preocupação
perturba-se o silencio...
do dormir mais tarde
ao dormir mais cedo,
para uns perdas
para outros ganhos,
são nos detalhes
do céu estrelado
que verdadeiramente
suspiramos a beleza
do que poucos
denominam ganho

Paula Talia, 201


“Escuridão”

Depois da tormenta,
silêncio,
a tristeza das pessoas
angústia das famílias
sem noticias,
preocupação,
apesar desse pequeno caos
união, colaboração
todos trabalhando juntos
até o fim dessa escuridão
Charlys Soares, 201

Mudanças na rotina

Num dia qualquer
Veio o temporal
Tive medo,
Angústia, preocupação...
Tudo isso me fez dar mais valor
Às pequenas coisas,
Luz, água, comida...
Fez eu admirar mais
O brilho das estrelas
O silêncio,
As pequenas coisas da vida.

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, close-up Alissa Silva, 202


O Vento

E quando aquele vento despertou
Ninguém sabia o que iria acontecer
E quando ele se foi, caiu a ficha
Então ninguém sabia o que fazer

E quem não acreditava em Deus
Aquela noite aprendeu a rezar
E para ser sincera, acho que foi a fé.
Que fez aquele vento cessar

Ah mas só tenho que agradecer
O tal vento pode ter levado tudo
Menos a minha esperança de viver.
A imagem pode conter: 1 pessoa, selfie e close-up Camila Fogliato, 202


O vendaval


E quando aquele vento chegou
No meio da madrugada
Todo mundo se assustou
Ninguém sabia o que fazer

Teve gente que chorou
Teve gente que rezou
Teve gente, como eu.
Que paralisou

Esse vendaval
Me traumatizou
Mas agora tudo passou
E a vida continua

Com aquele receio de que
De uma hora para outra
Tudo aconteça novamente
Assustando tanta gente.
A imagem pode conter: 1 pessoa Tarlizi Torres, 202

É muito gratificante ver os alunos produzindo assim. Me encanta! Missão cumprida muita leitura e escrita.
Professora Denise Miletto

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Palestra Relações Interpessoais

A palestra ministrada por mim sobre Relações Interpessoais no Trabalho dentro do programa do Curso de Direitos Humanos coordenado pelo mestrando Ivanio Folmer e professora Ana Margarida Piani Ferreira aconteceu dia 28 de novembro na Escola Laerte Jobim. 

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, sentado e área interna

A imagem pode conter: 8 pessoas, pessoas sorrindo, área interna

A imagem pode conter: 8 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé

A imagem pode conter: 16 pessoas, pessoas sentadas e área interna


segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Formatura Terceirão IEESF

No dia 25 de novembro a formatura do Terceirão IEESF 2017 aconteceu nas dependências do CTG Negrinho do Pastoreio. Familiares, amigos, professores, funcionários, equipe diretiva fizeram-se presentes. Nos damos conta nestes momentos do quanto aprendemos juntos e do quanto cada um leva de nós professores para sua vida. 
Foi bonito!
Emocionante!
Desejamos sucesso em suas vidas!
A festa foi maravilhosa!



A imagem pode conter: 7 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas sentadas e área interna

A imagem pode conter: 6 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas sentadas e área interna



sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Rodas de Converas

Durante esta semana realizei a convite da colega Dilzone Rodrigues (CRAS) - Secretaria de Assistência Social rodas de conversas com mulheres nos bairros da comunidade de São Francisco de Assis. Momentos em que elas param para conversar, fazer artesanato, aprender juntas. Gratidão pelo convite e oportunidade de troca com estas mulheres.
Bairro Getúlio Vargas
Bairro Santo Antônio

Bairro Mandarino

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

“De um temporal”

De um temporal

De um temporal tantos estragos,
da mudança de rotina há mais diálogo,
da preocupação perturba-se o silencio...
do dormir mais tarde ao dormir mais cedo,
para uns perdas para outros ganhos,
são nos detalhes do céu estrelado
que verdadeiramente suspiramos a beleza
do que poucos denominam ganho

Paula Talia, 201

Desafio proposto aos estudantes falarem em prosa ou versos sobre o temporal que assolou nossa cidade.
Tudo pode virar poesia!

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Inteligência Espiritual - Danah Zohar

A física e filósofa americana Danah Zohar aborda um tema tão novo quanto polêmico: a existência de um terceiro tipo de inteligência que aumenta os horizontes das pessoas, torna-as mais criativas e se manifesta em sua necessidade de encontrar um significado para a vida. Seu trabalho é sobre o Quociente Espiritual (QS), ela afirma: "A inteligência espiritual coletiva é baixa na sociedade moderna. Vivemos em uma cultura espiritualmente estúpida, mas podemos agir para elevar nosso quociente espiritual". Veja o vídeo:


sexta-feira, 17 de novembro de 2017

XII Feira do Livro de São Francisco de Assis



De 14 a 16 de novembro de 2017 realizou-se a XXII Feira Municipal do Livro e Mostra Pedagógica do Programa União faz a Vida, organizada pela Secretaria Municipal de Educação e Cultura. Nesta edição a Professora Iolete Girotto foi a homenageada. Participaram da mesma os escritores Salvador Ferrando Lamberty, Auri Antônio Sudati e Camila Canterle Jornada.

Parabéns aos organizadores, escolas, estudantes e escritores presentes que abrilhantaram mais um momento cultural em nossa São Francisco de Assis.

Escritor Salvador Ferrando Lamberty
A imagem pode conter: 7 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé
Professora Iolete Girotto, Escritor Auri Anônio Sudati e equipe pedagógica da Smec
Escritora Camila Jornada, minha ex-aluna

Show de encerramento da feira com a professora Iolete Girotto, Dunga e Rodrigo Trombini


quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Feira do Livro de São Francisco de Assis

Acredito que eu tenha participado de todas as edições de feiras do livro de São Francisco de Assis, sou grande incentivadora da leitura e sei o quanto ela pode fazer a diferença na vida dos estudantes, como fez na minha. 

José Paulo e eu

A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sorrindo, close-up e atividades ao ar livre

Professora Iolete Girotto Homenageada da XII Feira do Livro

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé e área interna

Iolete Girotto e Camila Jornada


segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Minha melhor crônica sobre o amor

Camila Jornada em 03 de novembro de 2017

Eu quero me inspirar em Caio. Eu quero transbordar em Clarice. Eu quero viver o ultrarromantismo do Álvares. Eu quero sentir a transpiração de todos eles e que cada um me dobre os dedos sem intervalos, escrevendo abaixo de mau tempo, poemas, contos, fadas, sonhos, promessas, loucuras, vícios, dor, perfumes, Leminski, gemidos, bordejos, embriaguez, paixão e surrealismo de puro êxtase.

Eu insisto em concluir a inspiração na morte, no amor. Custe a causa que me custe, mas o amor deixa o lamento da morte na vida que ele me segura. O amor intoxica o que achamos ter sentido de desculpa, talvez porque o veneno da paixão é a loucura de desejar outro ser.

Eu leio tantas coisas inúteis. Eu vejo o mundo chato. Eu não consigo fazer aquilo que penso, imagino, crio, transformo. Eu não consigo levar meus delírios a sério. O engraçado é que ele me deixa de pernas bambas, isso sim é sério. É grave!

Leio poemas e penso em penetrá-los, viver a coisa escrita. Pois eu acho tão bonito, intenso e devorador conhecer as mágoas, as paixões, os sussurros de um poeta. Imagina o poema em si, uma desgraça!

Será o poema que postamos retrata nosso momento? Será o poema uma forma de correspondência entre aqueles “os seres entrelinhas”. Eu poeto o poeta e ele sabe a dor de tudo. Inclusive, de tudo.

Vejo que as pessoas gostam dos que falam do amor. Mas tem que saber falar. Ah e acima de tudo, saber viver o amor. Talvez isso seja a coisa mais chata dele. Falecer de amor é um convívio.

Amar é bom, talvez nem tanto. A paixão é gostosa porque descompassa os sentidos e tem sabor de vício.

A paixão é igual à droga. Depois que passa, a depressão te consome.

Acho que eu nasci pra paixão e sentir saudade do amor de vez em quando. Eu não sei outra forma a não ser pensar em mutações.

A coisa mais chata do amor é aquele momento em que acreditamos que é pra sempre.

A coisa mais chata da paixão é aquele momento em que “depois disso, vem isso: o amor”.

Tudo bem, tudo bem. O amor é bom, ok? Amem, apaixonem-se, depois também.

Não vá pensar que somente tu é que pensas coisas aleatórias. Mas eu gostaria de começar o pensamento por mim. Não vá pensar que acontece somente contigo, imagina. Nem pense isso! Acha que o teu imaginário é exclusivo na face da terra? Pensando assim, até consigo concluir que alguém já pensou coisinhas de mim.

Bem, amanhã é sábado, estarei de aniversário. Caso pensem em me dar algum agrado, eu agradeço o amor.


Publicado em Conteúdos Criativos

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

2ª Edição 200 NEWS

A chegada do jornal da turna na sala de aula é motivo de muita alegria e satisfação.

2ª Edição 200 NEWS















Avaliação realizada, aguardamos a 3ª Edição. Vamos lá criar, escrever, digitar...




quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Camila Jornada - Destino e Crônicas


Esta semana recebi regalo poético da escritora Camila Jornada, querida aluna de outrora. 

E ainda comentários e bilhetinhos:
"Merece as mais lindas poesias da vida! Super abraço, Mila!"


A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e sapatos

Gratidão Camila e muita poesia em sua vida!

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

2ª Edição 200 NEWS


A segunda edição do 200 News chegou
A logo ainda á definida trabalho par a última edição.